25 agosto 2015

Garnier Fructis Cachos Poderosos - Resenha


"Sua fórmula com concentração do ativo inovador filloxane e enriquecida com seiva de bambu, hidrata, define e recria seus cachos, memorizando sua forma por 72h."

Essa é a definição que se encontra no site da Garnier, agora vamos lá saber o que foi que eu achei dessa linha. 

Eu testei apenas a máscara de tratamento e o creme de pentear, então vou me ater a falar apenas destes dois produtos. 




A máscara promete cachos hidratados, definidos e -76% de frizz.

É uma máscara de cor branca, consistente e com um cheiro adocicado forte. Se você se incomoda com cheiros fortes talvez não goste muito.

Com o tempo que eu já tenho de cabelo natural, sendo o meu cabelo crespo, eu percebo que esses resultados que os produtos prometem, geralmente são mais obtidos por cacheadas, isso porque nosso crespo geralmente precisa de uma quantidade muito maior de óleos e componentes umectantes do que uma máscara comum consegue suprir.

Com isso o resultado dessa máscara no meu cabelo foi o mesmo que a maioria das máscaras de farmácia fazem, uma hidratação leve. 
A dica que eu dou é que vocês adicionem óleos vegetais (de preferência extra virgem) a suas máscaras e o resultado vai ser muito melhor.

Um ponto negativo é que essa máscara tem petroquímicos. 


O creme de pentear tem o mesmo cheiro da máscara, a consistência é comum para um creme de pentear e a coloração também branca. 

Um ponto super positivo é que não tem petroquímicos, mas tem o Amodimethicone.

Eu achei que o creme de pentear complementa o efeito de hidratação que a máscara faz. 

O cabelo fica hidratado, macio e os cachos tem um aumento considerável na definição.

Vocês sempre me perguntam se o creme deixou meu cabelo com pó branco, eu geralmente não tenho esse tipo de problema porque uso óleo antes do creme de pentear (método loc), isso ajuda a reduzir esse efeito de falsa caspa. 

Então é isso meninas, em breve venho com mais resenhas.
Um beijo e até mais!!!







Postar um comentário
//////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////